Um Trabalho Multidisciplinar

Por:Circuito PSI
Novidades

16

Oct 2017

Um trabalho multidisciplinar

Cassandra tem 7 anos de idade e Síndrome de Down quando chega ao Consultório de Psicologia. Segundo a mãe, Cassandra não pode ver uma porta aberta que corre para fechá-la. O mesmo acontece com a tampa do vaso sanitário aberta. Na rua, Cassandra não aceita que duas pessoas se abracem e tenta separar. Quando viajam em família, Cassandra joga as coisas pela janela: roupas, tênis e brinquedos. Em relação a escola, ela se sente desmotivada e desiste facilmente das atividades. Cassandra dorme coma mãe no mesmo quarto, dividindo a mesma cama. Quanto a alimentação, a mãe conta que ela come sozinha, mas se engasga com líquidos. Cassandra usa fraldas e precisa de ajuda para ir ao banheiro. Também não avisa quando a fralda está suja. A mãe relata que Cassandra passou por várias cirurgias e usou bolsas de colostomia. Cassandra gosta de música e a mãe explica que tal influencia decorre do pai que trabalha como maestro.

Psicologia. Nos atendimentos, Cassandra brinca e é alegre. Apresenta comportamento repetitivo e espalha lápis e canetas pelo chão. “Oh, caiu”. Também rabisca tudo que vê: mesa, paredes e o chão. Pede folhas para desenhar e faz círculos, um sobre o outro. Possui linguagem incompreensível e apresenta dificuldade para diferenciar as cores.

Atendimento com uma enfermeira. A mãe pede ajuda para uma enfermeira que explica com deve fazer para tirar a fralda da filha. A enfermeira também ajuda na ingestão de alimentos e líquidos.

Fonoaudiologia. Cassandra é levada ao atendimento de fonoaudiologia por encaminhamento da enfermeira. A fonoaudióloga explica alguns cuidados especiais quanto a ingestão de líquidos e realiza atendimento focalizado na fala.

A organização das atividades, através do atendimento multidisciplinar, produz seus primeiros efeitos em poucos meses: Cassandra se alimenta e ingere líquidos sozinha (a mãe não precisa estar perto). Ela também avisa a mãe quando a fralda está suja e algumas vezes tenta ir ao banheiro sozinha. Quanto a comunicação, Cassandra apresenta melhora significativa na fala e é mais organizada nas brincadeiras.

Pedagogia. Em relação a aprendizagem, Cassandra é encaminhada para atendimento com uma pedagoga. (Há suspeita de que os problemas escolares decorram de questões ligadas a aprendizagem). Cassandra passa a identificar números, a ler e a escrever pequenas palavras. Também não briga mais com os colegas na escola e consegue nomear os animais, conforme aprendeu na escola.

Após um ano, Cassandra ainda fecha portas abertas e desce as tampas nos vasos.  Nomeia seus brinquedos e acompanha as atividades da escola, com a ajuda de um profissional. Comunica-se com palavras e entende o que é dito a ela. Na hora de ir embora, recolhe os brinquedos e organiza.

O atendimento multidisciplinar refere-se a diversos profissionais trabalhando juntos em prol de um objetivo em comum, no caso o bem-estar de Cassandra; que, à princípio, parece desorganizada e perdida. A comunicação entre os profissionais é essencial, uma vez que o acompanhamento visa o mesmo fim. As demandas se apresentam de formas diferentes e podem ser potencializadas quando atingidas gradualmente, uma a uma. A integração e a abordagem especializada favorecem que o ponto em comum seja atingido; no caso, a desorganização pela qual passava Cassandra. A partir deste ponto, uma demanda que aparecer e de forma isolada será tratada diretamente e de maneira pontual.

d


 

Compartilhe:

Rua Juruá, 50 ou 46 - Sala 305. Cidade Nova

(31) 99903-3762

contato@circuitopsi.com.br